(mordidas mansas)














(por vezes bravas)



morder
 
os legumes
e o cacau,
à beira-mar,
em dias
e dias
de enganos;
afundando
ao vento
cogumelos
duns e doutros;
sem nada
de nada
ao colo
e recortando
fotos
de cães.

sacudindo
dias
de conversas
no camarote.

comendo
causas,
políticas
e erros
de um lado
e do outro;
fixando
de repente
o que tem
a praia:
letras
e girafas.



morder
o mundo

 
todos os minutos
todas as horas
todas as semanas
em francês
e em inglês



morder
os sons

 
em 5 minutos
debaixo de água
conhecendo
lendo
sentindo
e comprando



morder
as imagens

 
pessoais
amadoras
profissionais
em movimento
brevemente
aqui



morder
as palavras

 
sentidas
no escuro
em busca
de tempo



morder
o passado

 
<< hoje



e-mail

This page is powered by Blogger.

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com















quinta-feira, julho 17, 2003



Desta vez não tenho nada a apontar.
Ontem nos destinos de férias de um programa da France3, houve uma reportagem de um quarto de hora em Lisboa.
Meteu a Marisa (ou Mariza?) como excelente guia histórico de Alfama, da Mouraria, do Castelo.
Meteu uma condutora do eléctrico 28 que trabalha de dia e de noite porque gosta da variedade de pessoas que encontra à noite (acrescentou-se que a noite lisboeta é uma das mais "movidas" da Europa, Barrio Alto, etc... - que mania de usarem palavras espanholas a pensarem que são iguais às nossas!).
Meteu o Marquês de Fronteira a falar dos azulejos do seu Palácio, da história da família e das reuniões secretas com o Partido Comunista antes do 25 de Abril.
Meteu a Grândola, Vila Morena.
Meteu a Expo98.
Meteu um historiador em Belém a mostrar o caminho da saída das caravelas.
Fiquem com o lead que está na página do "Des Racines & des Ailes" no site da France3:

"Lisbonne : la métamorphose

En moins de vingt ans, cette ville de deux millions d'habitants s'est totalement métamorphosée. Aujourd'hui, elle est même devenue l'une des villes les plus branchées d'Europe, préservant les traces d'un passé prestigieux, Lisbonne se tourne définitivement vers le troisième millénaire. Visite guidée...
"

Jorge Moniz às 12:48 |